Acores_1

Formação de Professores em Empreendedorismo

A V Edição Educação Empreendedora – O Caminho do Sucesso! iniciou no dia 11 de setembro com a Formação de Professores em Empreendedorismo, do 1º ciclo ao Ensino Secundário e Profissional, tendo a formação terminado no dia 13.

Este ano o projeto chegará pela primeira vez ao 1º ciclo e por essa razão foi constituído um grupo de formação só para este nível de ensino e um outro que integrou os restantes professores.

Este ano 30 novos professores juntar-se-ão aos 70 que transitam de anos anteriores.

Mais uma vez esta edição chegará a todas as ilhas e a mais de 40 escolas e pela primeira vez o projeto será também implementado no 1.ciclo.

Obrigado a todos os professores que têm contribuído para o sucesso deste projeto e os nossos agradecimentos também aos que aceitaram o desafio este ano e se juntam este ano à iniciativa.

V Edição Educação Empreendedora – O caminho do sucesso!

A V Edição Educação Empreendedora, promovida pela Direção Regional da Juventude e pela Direção Regional da Educação do Governo Regional dos Açores, iniciou dia 10 de setembro, com 2 ações de Formação de Professores em Empreendedorismo.

Este ano, a principal novidade reside no alargamento do Projeto ao 1º Ciclo do Ensino Básico, com o Programa “As Aventuras do Gaspar nos Açores”.

Pelas primeiras impressões recolhidas junto dos professores e da Equipa de Acompanhamento, o nosso “Gaspar” tem feito um enorme sucesso, assim como as ilustrações que o acompanham e por essa razão o projeto já foi apresentado na RTP Açores: https://www.facebook.com/video.php?v=739300426150883&set=vb.159979894082942&type=2&theater

 

Regresso ás Aulas

Regresso às aulas, construindo a sociedade do futuro!

Ao iniciar-se, hoje, o novo Ano Lectivo julgo ser interessante recordar que o número de pessoas envolvidas no Sistema de Educação português, somente no ensino básico e secundário, atinge mais de um milhão e novecentas mil pessoas das quais um milhão setecentos e cinquenta mil são alunos e cento e cinquenta mil professores.

Tendo em linha de conta o poder que a Educação possui, os números atrás citados só por si representam bem essa realidade, no desenvolvimento económico sustentável e no progresso da nossa Sociedade entendo ser oportuno tecer, algumas, considerações que possam ajudar a reflectir sobre as necessidades que o Sistema Educativo deve satisfazer com vista a dotar os nossos jovens com as aptidões adequadas a poderem transformar-se em líderes, que no futuro, assumam a resolução de problemas cada vez mais complexos, interligados e de rápida mudança.

Consciente de que as estatísticas oficiais apontam para um número cada vez maior de jovens, que nem estudam nem trabalham, torna-se imprescindível ter coragem para assumir que algo não está bem no Sistema Educacional Europeu e consequentemente encontrar soluções que permitam preparar as gerações actuais e futuras de empreendedores, trabalhadores, professores, gestores e indivíduos, com as aptidões necessárias para terem sucesso e, naturalmente, poderem ajudar os menos habilitados.

Naturalmente que a minha experiência bem como o estudo das melhores práticas internacionais permitem-me afirmar, desde já, que uma das medidas que teremos de assumir, de uma vez por todas, passa por interiorizar – ao nível dos membros do governo, sociedade civil e meio empresarial – o enorme potencial que o investimento na educação em empreendedorismo possibilita, com a capacitação dos nossos jovens talentos, enquanto integrantes da próxima onda de líderes e inovadores que não só criarão empregos e valor para a sociedade, mas também apoiarão a emancipação dos restantes na criação de um futuro melhor.

De facto a convergência da globalização, das inovações tecnológicas, das economias baseadas em conhecimento e das tendências demográficas tem vindo a contribuir para a ascensão do empreendedorismo como a força motriz do desenvolvimento económico, da mudança estrutural e da criação de emprego.

Reconhecendo este processo de transição desde cedo entendi – nomeadamente através da Gesentrepreneur e no contexto da sua missão de apoiar a criação de programas de educação sustentáveis, escaláveis e relevantes- ser essencial potenciar o envolvimento da Classe dos Professores na dinamização da Educação Empreendedora como uma das principais forças do desenvolvimento social sustentado e da recuperação económica.

Esta constatação assume particular relevância quando as evidências demonstram que, nas últimas duas décadas, diversos países de todo o mundo reconheceram a falha dos seus sistemas de educação, na educação dos seus jovens, nomeadamente em educá-los para criarem e não simplesmente educá-los para responderem a oportunidades económicas.

Incluir o empreendedorismo e a inovação, abordagens transdisciplinares e métodos de ensino interactivos – vidé por exemplo o curso de elearning que a GesEntrepreneur realizou versando a temática do empreendedorismo – requer novos modelos, enquadramentos e paradigmas.

É recomendável, por isso, que se repense a forma como o Sistema de Educação tem vindo a interligar-se com as necessidades de uma Sociedade em constante mutação aproveitando, ao mesmo tempo, para se fazer um “reiniciar” do projecto educativo uma vez que a melhoria incremental que tem vindo a ser adoptada se encontra desenquadrada dos níveis de exigência a que a nossa Nação se encontra sujeita e os quais só iremos ultrapassar se conseguirmos ter Escolas, Institutos e Universidades que sejam empreendedoras na forma como preparam os seus alunos para o futuro.

As experiências que se vão conhecendo, um pouco por todo o mundo, fazem-nos acreditar que as ferramentas e o conhecimento se encontram disponíveis tornando-se necessário assegurar que os nossos jovens conseguem interiorizar essa paixão de querer tomar o controlo das suas vidas porque, na verdadeira acepção do termo, é disso que se trata quando falamos de Educação Empreendedora.

Para o efeito e a exemplo de outras etapas, do processo histórico que marcou a evolução da Sociedade Ocidental, também no momento presente a educação de empreendedorismo, para ser bem-sucedida, exige Professores empreendedores ou seja Professores que consigam chamar a atenção dos seus alunos para o desenvolvimento de actividades de experimentação assegurando que a pedagogia é baseada na acção e em projectos educativos centrados na resolução de problemas, com aplicação prática, e em conceitos de propriedade e responsabilidade individual

O número, incrivelmente elevado, de estudantes que desiste da escola, com todos os inerentes problemas sociais e económicos, tornam este foco na Educação Empreendedora essencial, uma vez que as metodologias a adoptar usando formas interactivas e empíricas de ensinar e aprender ao mesmo que estabelecem uma ligação do contexto sala de aula, do espaço escola e respectiva comunidade empresarial, que a rodeia, contribuirá para libertar o espirito nato, dos jovens estudantes, podendo ser um factor indutor da manutenção dos mesmos na escola.

Porém a resolução do problema do desinteresse escolar e a necessidade dos indivíduos aprenderem a ser responsáveis pelo seu futuro só será uma realidade quando o nosso Sistema Escolar assentar numa estrutura que permita:

  • Exigir a educação de empreendedorismo (“literacia de propriedade”) nas escolas públicas, ou, pelo menos, tornar a educação de empreendedorismo disponível como opção para todos os estudantes
  • Financiar, com os meios adequados, esta evolução na educação para o empreendedorismo
  • Acentuar a aposta na formação de professores facultando aos mesmos soluções educativas e de formação em empreendedorismo, baseadas num modelo de ensino próprio e na metodologia “learning by doing”;

Tenho consciência que fazer a mudança na disponibilidade universal da educação de empreendedorismo para os jovens se trata de uma tarefa monumental.

Mudar os sistemas escolares existentes levará tempo, especialmente uma vez que os professores terão de ser capacitados para aceitarem métodos de trabalho que admitam uma mistura de aprendizagem empírica, criação de aptidões e naturalmente de mudança de mentalidades.
Tratar do tema da educação de empreendedorismo exige trabalhar com os sistemas de educação existentes para incorporar as mudanças necessárias assim como lançar novas iniciativas fora das estruturas actuais.

Acredito no entanto que quanto mais cedo e maior exposição houver ao empreendedorismo e à inovação, maior é a probabilidade dos estudantes se tornarem empreendedores, de uma forma ou de outra, em alguma altura das suas vidas.

Nesse sentido não poderia terminar sem apelar às diversas Instituições Educativas, em todos os níveis (primário, secundário e superior), para que utilizem todos os recursos ao seu dispor, na adopção de métodos e instrumentos, que lhes permitam desenvolver um ambiente de aprendizagem apropriado ao encorajamento da criatividade, da inovação e da capacidade de “pensar fora do convencional” pois só assim os nossos jovens estarão preparados para enfrentar os desafios da Era Criativa que está e irá continuar a caracterizar o Seculo XXI.

Francisco Banha

CEO GesEntrepreneur- Empreendedorismo Sustentável, Lda

Apresentação1

Missão Empreendedora a Lisboa – Setembro de 2014

Entre os dias 8 e 11 de setembro decorreu a Missão Empreendedora a Lisboa, que contou com um grupo de 13 pessoas, entre os quais os grupos vencedores do Concurso IdeiAçores e do Concurso de Ideias Supramunicipal da ADRUSE e os respetivos professores.

O objetivo desta missão era essencialmente proporcionar uma nova experiência aos alunos, dar-lhes a conhecer a capital e dar-lhes também a oportunidade de conhecer incubadoras de empresas e startups e interagir com empreendedores.

Assim no primeiro dia, em que estiveram apenas presentes alunos e professores dos Açores, fez-se uma visita ao Lx Factory e ao Museu da Carris e assistiu-se ainda a um espetáculo de videomapping no Terreiro do Paço.

No segundo dia, após a chegada do grupo da ADRUSE visitou-se o Parque das Nações e o Oceanário e a Vodafone Labs, onde alguns empreendedores partilharam com os alunos a sua história e percurso.

No terceiro dia, o programa sofreu algumas alterações devido às condições atmosféricas, e por isso fez-se uma visita pelo MUDE, Baixa de Lisboa e a tarde foi dedicada às visitas à Startup Lisboa Tech e Comércio, onde conheceram os projetos incubados e conversaram com alguns dos empreendedores.

O último dia foi passado em Belém, visitou-se a Fundação Champalimaud e o Tagus Park, onde os alunos receberam algumas orientações para o seu futuro.

O grande objetivo destas visitas é proporcionar aos alunos uma experiência diferente, dar-lhes a possibilidade de interagirem com colegas de outras regiões, divertirem-se, mas também inspirarem-se e aprenderem algo que seja útil para o seu futuro.

O nosso obrigado a todas as entidades que nos receberam e acolheram e que têm sempre um papel muito importante nestas visitas.

Obrigado também a todos os alunos e professores que nos visitaram.

SJM

Missão empreendedora a São João da Madeira

Alunos/as e Professor premiados no Concurso de Ideias promovido pela ADRUSE visitaram no passado dia 9 de setembro algumas das emblemáticas empresas do tecido industrial de S. João da Madeira que integram o projeto Turismo Industrial desta cidade. O circuito ao Património Industrial incluiu as empresas Fepsa, Viarco e Heliotextil e o espaço museológico Museu da Chapelaria. À equipa do Turismo Industrial o nosso obrigado pela simpatia e disponibilidade.


Às empresas que nos receberam de braços abertos e em especial ao Sr. António, Sr. Fernando e Dra. Joana Oliveira, da Fepsa, Engª Susana Correia, da Heliotextil, José Miguel Araújo, da Viarco, Sara Silva e D. Deolinda, do Museu da Chapelaria o nosso obrigado pelas aprendizagens enriquecedoras que nos proporcionaram.

Barcelona

Missão empreendedora a Barcelona – 2014

De 4 a 7 de Setembro, ocorreu um dos momentos altos do ano para a GesEntrepreneur e nomeadamente para os seus profissionais, professores e alunos envolvidos nos Projectos da ADRUSE, CIMBB, CIMVDL e Cascais. Depois de no mês de Maio, terem ganho os Concursos de Ideias em que participaram, um grupo de 25 alunos e professores deslocou-se a Barcelona para conhecer esta bela cidade e em particular o seu ecossistema empreendedor.

No Roteiro, para além do génio de Gaudi, os alunos puderem contactar com o Programa Barcelona Activa, com a comunidade de voluntários Barcelona Loves Entrepreneurs (BLE), além do CP’AC, uma Fundação Privada Regional, que gere com muito sucesso o Programa Reempresa.

No dia 4 de Setembro, Rafael Mendez, um dos voluntários da BLE, recebeu-nos no Mobile Web Center da Telefónica, onde nos deu a conhecer as diversas actividades que esta comunidade organiza, no sentido de juntar os diversos actores empreendedores que têm diversas sinergias. Poderão conhecer melhor a actividade da BLE em http://www.barcelonalovesentrepreneurs.com/.

O final de tarde solarengo de quinta-feira foi perfeito para conhecermos Gloria Mullins, uma hiperactiva empreendedora espanhola, que com 29 anos fundou uma das startups espanholas mais “hot” na Área do Turismo, a Trip4Real (www.trip4real.com) . Dinamismo, perseverança, fé e paixão foram algumas das características que levaram a que a Equipa liderada por si, conseguisse levantar mais de 1 Milhão de Euros, tendo como um dos Business Angels, Ferran Adrià, o famoso Chef catalão do Restaurante (já encerrado, por opção) El Bulli. Para além de apresentar a Empresa e o percurso efectuado pelos fundadores, Gloria interagiu com os nossos jovens empreendedores, fazendo-os sair da sua “caixa”, tendo sido um dos momentos mais inspiradores da viagem.

Na Sexta-Feira, o dia passou a voar, uma vez que da parte da manhã, visitámos a Barcelona Activa, o Fab Café (um Café com impressões 3D onde os criativos podem desenvolver os seus projectos) e a CP’AC (www.cpac.es). Os alunos e professores foram recebidos por Ivan Rodriguez, um dos responsáveis pela articulação com os aspirantes a empreendedores, nomeadamente no seu aconselhamento de como aproveitarem as oportunidades de mercado, planos de negócio, etc. Após a palestra, tiveram oportunidade de conhecer a sua Incubadora de Glories que já incubou mais de uma centena de projectos ao longo dos últimos 20 anos.

Depois das visitas “empreendedoras”, foi tempo de conhecer uma das maravilhas  de Barcelona, o Park Guell, guiados por Alex, um guia local indicado pela Trip4Real. O famoso lagarto de Gaudi foi naturalmente visitado, mas os alunos tiveram tempo de descobrir alguns dos segredos que só um Guia Local lhes pode contar, como o facto do Park Guell ter sido inicialmente um grande falhanço urbanístico, em que apenas se construíram 2 das mais de 60 casas previstas.

Durante o fim de semana, foi tempo de palmilhar mais de uma dezena de quilómetros pelas Ruas de Barcelona, tendo sido visitadas a Zona de Barceloneta, Vila Olímpica, Gracia, Bairro Gótico, sem faltar uma incursão pelo famoso mercado local, “La Boqueria”. Aquando do regresso a casa, eram visíveis os sinais de cansaço, mas também de satisfação, por parte dos alunos, pois viveram uma experiência única que lhes permite alargar horizontes. Partilhamos um email que nos foi enviado por José Castro, Professor do Agrupamento de Escolas de Alcains e S. Vicente da Beira e que nos reforça a ideia de que estas Missões de Empreendedorismo são o prémio ideal para quem vence, em idade escolar, um Concurso de Empreendedorismo.

Final Intermunicipal da Região de Leiria

A GesEntrepreneur iniciou no ano letivo de 2013/14 a 3ª edição do Projeto de Empreendedorismo nas Escolas do Pinhal Interior Norte. Contudo com a atual configuração das Comunidades Intermunicipais, deixou de existir a CIMPIN, tendo os seus municípios sendo divididos entre a Comunidade Intermunicipal da Região de Coimbra e a Comunidade Intermunicipal da Região de Leiria.

 

Assim a GesEntrepreneur acompanhou 5 municípios da CIMRL: Alvaiázere, Ansião, Castanheira de Pêra, Figueiró dos Vinhos e Pedrógão Grande que estiveram presentes na Final Intermunicipal que decorreu em Leiria no dia 5 de Junho de 2014.

 

Aqui fica uma síntese das ideias premiadas nesse dia:

 

1º Classificado / Still Here – Marinha GrandeAlerta de bebé dentro da viatura, constituído por um dispositivo (que se coloca no cinto de segurança da cadeirinha) e pulseira (no pulso do condutor), com tecnologia wireless, que permite à pessoa não se ausentar sem ser alertada de que o bebé ainda está no interior do veículo.

 

2º Classificado / Bio-Flow – Alvaiázere – consiste na constituição de uma empresa que se dedica à construção e comercialização de sistemas de produção alimentar no sistema de Aquaponia. A Aquaponia alia a aquacultura (criação de peixes em viveiro) com a hidroponia (cultivo de plantas sobre a água), funcionando num sistema fechado e dinâmico onde os resíduos dos peixes servem de nutrição para as plantas e estas, por sua vez, filtram a água devolvendo-a em boas condições para os peixes crescerem saudavelmente. As principais vantagens da técnica passam pela dispensabilidade de solo de qualidade, podendo funcionar em qualquer local, desde que haja acesso a água e energia elétrica; não utiliza químicos e a produção de alimentos é 8 a 10 vezes superior à conseguida com os métodos tradicionais; sendo um sistema fechado, consome 2 a 5% da água e 1/3 da energia utilizadas nos sistemas tradicionais de cultivo.

 

3º Classificado / EndoLeiri – Ansião – Consiste na criação de um website que promove a divulgação e venda de produtos endógenos de todos os produtores da região de Leiria. Estes produtores poderão expandir o seu negócio conseguindo chegar a muitos outros locais. A encomenda será realizada on-line e a entrega ao domicílio. As grandes mais-valias passam pela facilidade com que cada cliente poderá comprar os produtos desta região, via on-line, não precisando de se deslocar ao local, ou até mesmo a vários locais caso pretenda comprar produtos de diversos produtores. Para além disso, o site pretende apostar na divulgação da região, contribuindo para uma maior afluência a um nível turístico e auxiliando a divulgação dos “nossos” produtores, o que contribuirá de forma direta e indireta para a promoção da economia local. É de referir que numa primeira fase dar-se-á enfase à divulgação e venda dos produtos da zona Pinhal Interior Norte.

 

Menção Honrosa/ Serrano Castanheirense – Castanheira de Pera – criação de um hostel em Castanheira de Pera desenvolvido num espaço estratégico e com grande simbologia: a antiga “Casa da Criança Rainha Dona Leonor”. Este hostel passa pela recuperação de um espaço que agora não está a ser explorado na vila de Castanheira de Pera. Este hostel diferencia-se dos existentes no mercado pelos seguintes serviços característicos: oferta a cada cliente de em KIT turístico para que possa desfrutar de Castanheira de Pera de forma plena; espaços de leitura e de visionamento de filmes; espaços de descanso em vários pontos dos nossos jardins; restaurante com a exclusividade da nossa comida regional e a promoção de atividades radicais na vila através de parcerias com empresas da região.

 

Parabéns a todos os premiados e a todos os alunos e professores que participaram neste projeto.