Mais de 550 alunos participaram este sábado a Expo | Empresas, Artes e Ofícios, na Praça da República, em Condeixa-a-Nova, numa iniciativa da CIM Região de Coimbra, com o apoio do Município de Condeixa-a-Nova.

Nas finais intermunicipais, em que participaram turmas do 2.º e 3.º ciclos provenientes dos vários municípios da nossa Região, foram apresentados os projetos desenvolvidos durante o ano lectivo. Cada turma teve um stand à disposição, num total de 15 turmas, do 2.º ciclo de ensino básico, e 16 turmas do 3.º ciclo do ensino básico.

No concurso do 2.ª ciclo venceu a turma 6.ºD, da AE de Montemor-o-Velho, com o projeto Teares do Mondego, orientado pela professora Ana Filomena Jacob, que promove a arte da tecelagem, através da dinamização de workshops, compondo músicas e criando artigos de mobiliário, calçado, artigos lúdicos e bolsas solidárias.

O 2.º lugar foi atribuído pelo júri constituído por João Amaral, do CEARTE, César Henriques, Ecoexperience, e Miguel Pessoa, do Museu Monográfico de Conimbriga e Ruínas, ao projeto Um Mundo de Doçuras à turma 6.º F, da EB N.º 2 de Condeixa, orientado pela professora Regina Pimentel, que consiste na produção inovadora de um bolo típico do concelho de Condeixa-a-Nova, a Escarpiada, alterando algumas das suas características, tamanho, ingredientes e apresentação.

O 3.º lugar neste nível de ensino foi alcançado pelo 5.º D da EB2 de Mira, com o projeto O Delírio de Miúdos e Graúdos, orientado pela professora Fernanda Paula Silva, que assume a renovação de um doce típico, divulgando-o de forma inovadora. As conhecidas “Chuchas” ganharam uma nova embalagem, com elementos simbólicos da região e provérbios tradicionais.

No concurso reservado ao 3.º Ciclo, o júri constituído por Helena Sequeira, da CCDRC, Jessica Lopes, do IPC, e o Chefe Flávio Silva, atribuíram o 1.º lugar ao projeto 20coMEL, do 9.º B da AE Vila Nova de Poiares, orientado pela professora Ana Silva, que levou à criação de um gelado endógeno e regional, saudável e natural, alusivo a Vila Nova de Poiares.

No 2.º lugar, ficou o projeto GATS, do Clube da EB 2.3 João de Barros, na Figueira da Foz, sob orientação das professoras Adélia Matos e Fátima Lopes, que consiste no desenvolvimento de materiais didácticos de apoio ao processo de ensino-aprendizagem, adaptados aos sistema educativo português. O primeiro produto apresentado foi o SmartBarros que visa o apoio à leccionação de actividades de substituição no 8.º ano da escolaridade.

Quanto ao 3.º lugar, o júri decidiu atribui-lo à turma 9.º B da EB 2.3 com Ensino Secundário José Falcão, de Miranda do Corvo, pelo projeto MCChanfana, orientado pela professora Madalena Ferreira, que consiste no desenvolvimento de uma aplicação mobile de promoção da gastronomia regional, essencialmente em torno da Chanfana.

A APP disponibiliza informações relativas a receitas tradicionais e inovadoras, divulgando também os restaurantes regionais com serviço take way.

João Ataíde, presidente da CIM RC, José Carlos Alexandrino, vice.presidente da CIM RC, Luís Matias, presidente da CM Penela, Liliana Pimentel, vice presidente da CM Condeixa, Luís Almeida, vereador da CM Arganil, e Jorge Brito, secretário executivo da CIM RC, participaram na entrega dos prémios.

O programa a Expo | Empresas, Artes e Ofícios incluiu uma ação de sensibilização sobre as Florestas, com o apoio da Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC), Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF), Guarda Nacional Republicana (GNR), Corporação de Bombeiros e Gabinete Técnico Florestal (GTF) de Condeixa-a-Nova.

Durante o período reservado ao júri para análise e decisão sobre os projetos, a animação do palco instalado na Praça da República contou com a presença do DJ Kotas.

Este evento é enquadrado no projeto “Promoção do Espírito Empresarial da Região de Coimbra” e é cofinanciado pelo Programa Operacional Regional Centro 2020 e pelo Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER).

 

 

fonte: CIM Região de Coimbra